segunda-feira, 4 de julho de 2011

Pré-ocupação

O que tenho diante dos olhos perde o foco, vira pano de fundo
No que penso me invade, e sou invadida pelo que penso
Me ocupo da preocupação.
Não tenho costume em conviver com ela por muito tempo.
Ela me traz a reflexão e logo posteriormente sua inutilidade fica mais intensa.
O que olho não vejo, só vejo ela.
A pre-ocupação, chega e vai embora, traz sua constribuição, mais se não for medida, sua medida estrapola.
Te quero mais não tanto como a paz de confiar!
Te aceito aqui, mais sabes que logo teras que dar lugar a outros que me são mais caros.
Quero mesmo é quardar minhas energias para o amor, este se ocupa mais na confiança
talvez por isso a paz o acompanha até nas derrotas!

Um comentário:

Julio Seidenthal disse...

Bonito e necessário, que a paz acompanhe o amor na confiança.

 
Pesquisa personalizada